Imunoregulador no manejo da psoríase
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin

Cinco milhões; esse é o número de brasileiros diagnosticados com psoríase, segundo dados da Sociedade Brasileira de Dermatologia. A psoríase é uma doença mediada pela imunidade, de caráter crônico, inflamatória, que é caracterizada por lesões cutâneas, avermelhadas, espessas, e com descamação e que surgem em qualquer parte do corpo. As lesões aparecem de maneira mais frequente nos cotovelos, couro cabeludo e joelhos, mas podem acometer áreas de dobras, as palmas da mãos, plantas dos pés, couro cabeludo, unhas, ou apresentar-se em bolhas com presença de pus. Além disso, alguns indivíduos apresentam alterações que extrapolam a derme, como por exemplo na artrite psoriática ou constipação intestinal alternada a episódios de diarreia e doenças cardiovasculares.

Quanto aos sintomas, a psoríase costuma apresentar manifestações clínicas como coceira, sensação de ardência e até sangramento nas lesões. Ademais, outros sintomas são frequentes: dor e inchaço articular, sintomas gastrointestinais. Vale ressaltar o fardo psicológico significativo da psoríase, visto que o estigma das lesões, o conceito errôneo de que as lesões são contagiosas, e o manejo dos sintomas, nem sempre efetivo, afeta a qualidade da vida do indivíduo.

As causas da psoríase são multifatoriais, mas o componente genético é de importância, já que a doença geralmente se manifesta em indivíduos com histórico familiar. Quanto aos desencadeantes da doença, o estresse tem um papel importante, além de hábitos alimentares, exposição solar intensa, tabagismo e ingestão de álcool.

A psoríase não tem cura conhecida, e o manejo medicamentoso é realizado no sentido de diminuir a intensidade dos sintomas. As terapias medicamentosas incluem glicocorticóides, ativos administrados via oral e tópica, e fototerapias. No entanto, nem sempre a terapia medicamentosa é eficiente no manejo dos sintomas e acarreta onerosa perda da qualidade de vida.

A participação da imunidade na patogênese, ou seja o estudo das causas da psoríase já é aceita por pesquisadores e clínicos da área. Lesões cutâneas psoriáticas originam como resultado de interações desreguladas de componentes da imunidade inata e adaptativa com células cutâneas residentes. Algumas evidências apontam que a comunicação entre diversas células, como as apresentadoras de antígeno, células dendríticas e neutrófilos é comprometida. Além disso, o papel de citocinas, como IL-17, IL-1 e TNF-alfa, no papel de agentes comunicadores no cenário de modulação imunológico vem sendo estudado. Desse modo, algumas intervenções medicamentosas são direcionadas no sentido de regular a resposta imunológica.

No sentido de modular a resposta imunológica, destacam-se os fatores de transferência, que são cadeias de peptídeos, descobertos em meados de 1950, e que reúnem milhares de artigos publicados a respeito de seus resultados no manejo de algumas condições clínicas. Diversas doenças já foram estudadas com o uso de fatores de transferência, incluindo asma e rinite alérgicas, dermatite atópica, diversos tipos de neoplasias, e infecções de repetição. Nas abordagens utilizadas na literaturas disponíveis, os desfechos são variados, à depender das métricas utilizadas, mas são encontrados resultados como melhora nos sintomas de alergia, redução de eosinófilos em doenças com presença de atopia, aumento e ativação de linfócitos T e células NK (natural killer), melhora clínica e controle terapêutico da doença.

Lesões na pele causadas pela psoríase

A aplicação de fatores de transferência na psoríase baseia-se na regulação da resposta imunológica promovida por esses componentes, que também são chamados de células de memória, dada sua capacidade de melhorar a comunicação celular, atuando como imunoreguladores em situações de resposta exacerbada. Imuno TF® é o único produto no mercado brasileiro com fatores de transferência isolados, purificados, e capazes de acelerar a resposta imunológica e atuar como coadjuvante no tratamento de doenças crônicas e autoimunes, promovendo reforço imunológico em crianças, adultos e idosos. A alta tecnologia de Imuno TF permite a baixa dose (50 a 100 mg ao dia para adultos e até 20 mg em crianças) ser incorporada em cápsulas, filmes orodispersíveis, xaropes, gotas sublinguais e gomas, personalizando o tratamento para cada tipo de situação.

Imuno TF® pode ser encontrado em farmácias de manipulação e se destaca em meio aos produtos voltados para o fortalecimento do sistema imune por ser inovador em sua composição; é mais que é um complexo de vitaminas e minerais. Além disso, suas evidências, inclusive em uso a longo prazo, atestam a segurança e eficácia do produto. Imuno TF® fortalece o sistema imunológico, equilibra a resposta imunológica, não provoca reações alérgicas e possui baixo peso molecular garantindo a sua alta biodisponibilidade.