Uma alimentação à base de fast-food, frituras, refrigerantes, gordura saturada, alimentos altamente processados, balas e chicletes ou o oposto disso, como o jejum prolongado e até mesmo o aparentemente inofensivo cafezinho, podem trazer muitos prejuízos para a saúde gástrica.

E não é apenas o tipo de alimento que comemos que influencia o processo digestivo, mas também a forma como nos alimentamos. Por exemplo, comer de forma rápida sem mastigar os alimentos da maneira adequada, tomar líquido durante a refeição, comer grandes volumes de comida de uma só vez ou ainda ingerir alimentos muito quentes podem comprometer a digestão.

De forma geral, alguns alimentos têm a capacidade de aumentar de forma exacerbada a secreção ácida ou afetar a motilidade gástrica. Os alimentos mais “pesados”, ou seja, com alto teor de gordura e concentração de carboidratos retardam o esvaziamento gástrico. Os alimentos muito condimentados como pimentas, alho e cebola promovem o aumento da secreção ácida, assim como aqueles ricos em purina, substância presente principalmente nas carnes. Já os alimentos industrializados têm uma quantidade enorme de aditivos químicos que são irritantes da mucosa, e os refrigerantes ainda têm o agravante de diminuir a pressão do esfíncter esofagiano ocasionando o refluxo.

Além disso, hábitos como, uso de tabaco e bebida alcóolica também interferem de forma negativa na digestão, aumentando a secreção ácida. E não para por aí!

O estresse tem grande impacto na saúde gástrica, pois os níveis aumentados de cortisol no organismo reduzem o muco protetor do estômago, possibilitando agressões ao tecido, assim como reduzindo a capacidade de digestão.

Na rotina atribulada em que estamos imersos não é difícil desenvolver inflamações no estômago, mais conhecida como gastrite ou mesmo a forma mais severa da doença, a úlcera.

Os tratamentos convencionais para os casos acima, são à base de antibióticos e inibidores de secreção ácida, conhecidos como prazóis. No entanto, a longo prazo, estes medicamentos podem comprometer a saúde gástrica de forma permanente, tornando o indivíduo refém dessa medicação. Os prazóis têm como objetivo reduzir o pH do estômago de forma bastante drástica, porém esse mecanismo de ação compromete a digestão dos alimentos, que necessitam de um ambiente ácido para este processo.

Sendo assim, é importante buscar intervenções que sejam eficazes e sem causar efeitos colaterais. Pensando nos crescentes casos de gastrite e úlcera, a Infinity Pharma® traz uma solução natural para prevenir e combater estes problemas.

StomaZinc é um complexo formado pelo mineral zinco e pelo peptídeo L-carnosina (composto pelos aminoácidos β-alanina e histidina) através de uma ligação molecular polimérica. StomaZinc tem a capacidade de prevenir lesões na mucosa gástrica, promover a cicatrização de úlceras e ainda inibir o crescimento da H.pylori. Não provoca interferências no processo digestivo ou na absorção de nutrientes.

O complexo formado por StomaZinc é superior à suplementação isolada de zinco ou ainda a uma mistura simples de zinco e carnosina, pois existe uma forte ligação química entre os seus componentes garantindo sua lenta dissociação mantendo-o em contato com a mucosa gástrica por mais tempo e com isso aumentando a sua eficácia.

Veja aqui os estudos do produto.

Quer receber novidades?