Todos os alimentos que consumimos precisam ser digeridos, ou seja, transformados pelo nosso organismo em pedacinhos bem pequenos para que possam ser absorvidos e, assim, desempenhar funções biológicas importantes para nos manter vivos.

Esse processo de digestão começa na boca, passando pelo estômago e intestino e ainda conta com a participação de outros órgãos, como pâncreas e fígado.

Porém, existem algumas bactérias localizadas no intestino que são de extrema importância no processo digestivo. Elas são responsáveis por fermentar alguns alimentos e finalizar a digestão dos mesmos.

Essas bactérias se dividem entre “bactérias boas” (ou probióticas) e “bactérias ruins”. Se o intestino terá mais bactérias boas ou ruins, depende da alimentação de cada pessoa. Os alimentos naturais e saudáveis aumentam a população de bactérias boas. Enquanto os alimentos com alto teor de açúcar, gordura, muito processados e fast-food fazem aumentar a quantidade de bactérias ruins.

E qual o impacto disso na saúde?

Quando há mais bactérias boas, o intestino funciona de forma regular, diariamente e sem desconfortos, além de proporcionar bem-estar de uma forma geral.

Porém, se houver um desequilíbrio e o número de bactérias ruins for superior, efeitos como intestino preso, gases, inchaço e dores abdominais são recorrentes. Além disso, casos de dermatite, depressão, alergias e doenças autoimunes também estão correlacionadas ao mau funcionamento do intestino.

Alguns alimentos têm a capacidade de melhorar ainda mais a saúde intestinal. Confira abaixo alguns deles.

- Ameixa – além de ser um alimento rico em vitamina C, vitaminas do complexo B e fibras, a ameixa contém substâncias com propriedades laxativas, ou seja, que estimulam o funcionamento do intestino.

- Abacate – é um alimento que contém gorduras do bem, as chamadas gorduras monoinsaturadas, que auxiliam na lubrificação das fezes e, portanto, facilitam a sua eliminação.

- Maçã – a casca da maçã contém uma fibra chamada pectina, capaz de reter água, formando uma espécie de gel, o que aumenta o bolo fecal, facilitando o trânsito intestinal e ainda serve como alimento para as bactérias boas do intestino.

- Mamão – contém uma enzima chamada papaína que auxilia na digestão de proteínas, dessa forma, a fruta acelera o trânsito intestinal.

- Kiwi – além de conter enzimas que auxiliam na digestão de proteínas, o kiwi possui efeito laxativo, aumentando a frequência de idas ao banheiro e ainda beneficia o crescimento de bactérias do bem.

- Aveia – alimento bastante nutritivo, rico em magnésio, zinco e fibras. A aveia tem a capacidade de reter água, regularizando o funcionamento do intestino. O grande destaque da aveia é o seu conteúdo de fibras do tipo beta-glucana que auxilia no controle da glicemia e colesterol e ainda promove o crescimento de bactérias boas no intestino.

- Água – essencial para manter o bom funcionamento do intestino, pois é ela que compõe as fezes. Se o aumento do consumo de fibras não for acompanhado do aumento do consumo de água, o efeito pode ser totalmente o contrário do esperado e causar constipação intestinal (intestino preso).

Até agora falamos de como favorecer as bactérias boas, certo? E como eliminar as bactérias ruins?

BIOintestil® é um produto 100% natural e inovador, composto pelo óleo essencial de palma rosa e pela fibra do gengibre, capaz de provocar a morte das bactérias ruins e, dessa forma, regularizar o funcionamento do intestino. BIOintestil® tem ação comprovada na redução de dores abdominais, inchaço e eliminação de gases.

Uma alimentação saudável + BIOintestil® são os seus aliados da saúde intestinal!

Quer receber novidades?